Consórcio Maior Empregabilidade

CME  2023 Apoios V2

Encontro Nacional de Gabinetes de Promoção de Empregabilidade 2023

CME1

Realizou-se ontem a edição de 2023 do Encontro Nacional dos Gabinetes de Promoção de Empregabilidade no Ensino Superior. O dia foi dedicado à colaboração, partilha de experiências e identificação de desafios comuns.
Cerca de 30 representantes de Gabinetes de Promoção de Empregabilidade de instituições de ensino superior estiveram reunidas, na Escola Superior Agrária de Coimbra, num encontro nacional integrado no âmbito do Consórcio Maior Empregabilidade (CME) dinamizado pela Forum Estudante. “Este é um espaço de encontro, de diálogo e de partilha de experiências”, destacou o CEO da Forum Estudante, Rui Marques, na abertura dos trabalhos.
 
Numa altura em que “a realidade vai mudando de forma cada vez mais rápida e inesperada”, continuou Rui Marques, momentos como este encontro nacional – que permite a colaboração e a partilha de experiências – são “um fator de valor acrescentado para as instituições”. A possibilidade de “encontrar capacidade de trazer inovação para este diálogo” foi outra das mais-valias destacadas.
 
«Qualquer gabinete de empregabilidade [de uma instituição de ensino superior] vai hoje muito além de ensinar a fazer currículos, ajudar a preparar uma entrevista ou organizar feiras de emprego»
 
Antes, a responsável pela empregabilidade do Politécnico de Coimbra e Diretora do INOPOL, Sara Proença, começou por dar as boas-vindas aos presentes. “Tenho a certeza que será um dia profícuo, com partilha de boas-práticas entre elementos do consórcio”, explicou, destacando a importância do regresso às atividades presenciais do CME para que seja possível às instituições de ensino superior “discutir os assuntos que as unem”.
 
Um mundo em mudança
Grande parte do dia de trabalhos foi dedicado à partilha, na primeira pessoa, da experiência dos gabinetes de promoção de empregabilidade ao longo do ano de 2023. Em apresentações com cerca de 15 minutos de duração, estas estruturas elencaram os principais desafios e oportunidades encontradas na sua atividade, partilhando ainda algumas das suas principais práticas.
 
CME3
Ao longo do dia, representantes de 11 instituições de ensino superior partilharam boas-práticas
 
No total, 30 participantes de 11 instituições de ensino superior trabalharam, durante o dia, os temas ligados à promoção da empregabilidade de jovens diplomados. Uma área que, recordou Rui Marques, também tem conhecido mudanças profundas. A dificuldade das empresas em reter talento e a competitividade global foram alguns dos exemplos partilhados, bem como a mudança de mentalidade dos jovens em questões como a valorização da política ambiental, da responsabilidade social ou da possibilidade de teletrabalho.
A resposta para enfrentar a complexidade, reforçou Rui Marques, deve passar pela colaboração. “Qualquer gabinete de empregabilidade vai hoje muito além de ensinar a fazer currículos, ajudar a preparar uma entrevista ou organizar feiras de emprego”, destacou, aludindo à importância da partilha de boas-práticas. “Há um potencial extraordinário na colaboração e o Consórcio Maior Empregabilidade é, cada vez mais, a resposta aos desafios complexos da sociedade”, concluiu.
 
O Diretor da Forum Estudante, Gonçalo Gil, recapitulou depois o trabalho realizado pelo CME ao longo do ano de 2023. Para além das várias reuniões de trabalho online e da publicação de vários ebooks sobre competências para a empregabilidade, foram realizados três webinares e desenvolvidos dois estudos sobre empregabilidade jovem que serão publicados entre o final deste ano e o início de 2024. A autora de um destes estudos, Diana Aguiar Vieira, fez depois uma breve apresentação do trabalho realizado.
 
Os jovens e a carreira
Empregabilidade e Desenvolvimento da Carreira. Necessidades e Práticas dos Estudantes do Ensino Superior é o título do estudo conduzido por Diana Aguiar Vieira, especialista em empregabilidade, carreira e competências e docente do ISCAP. Numa intervenção à distância, a autora fez uma contextualização deste trabalho de investigação que envolveu um inquérito a 737 estudantes do ensino superior.
A intervenção de Diana Aguiar Vieira serviu para apresentar alguns dos resultados preliminares deste estudo que será publicado no início de 2024. Partindo de conceitos que afirmam a empregabilidade e carreira como realidades integradas em sistemas mais amplos, revelou, a investigação procura compreender de que forma “pode um profissional de carreira atuar no contexto envolvente”.
 
CME2
A especialista Diana Aguiar Vieira apresentou um estudo sobre empregablidade a publicar no início de 2024.
 
Situando as instituições de ensino superior e as entidades empregadores “no contexto imediato que rodeiam os indíviduos”, a especialista salientou o papel que “recursos psicológicos individuais” podem ter, ao trabalharem dimensões como a auto-eficácia – a confiança dos estudantes em desempenhar tarefas e lidar com os desafios que surgem na procura do emprego e na adaptação ao trabalho.
A partir desta premissa, o estudo tem como objetivos explorar a existência, na comunidade estudantil, de perfis de desenvolvimento de carreira, bem como avaliar o conhecimento dos serviços de empregabilidade por parte dos estudantes, o seu grau de participação em atividades deste âmbito e as suas preferências. A análise dos comportamentos de carreira adaptativos, a identificação das necessidades para desenvolvimento de carreira e dos recursos utilizados são outros dos objetivos deste estudo.
 
Para o final do dia, ficou guardada uma sessão de trabalho coletiva, para reflexão e discussão do plano de atividades do CME em 2024.